Arquivo

Posts Tagged ‘História da Igreja’

Entre Perplexidades e Incertezas

Basílica de São Pedro

“Venerados irmãos e filhos amados! Pronuncio perante vós, decerto tremendo um pouco de comoção, mas, com humilde resolução de propósito, o nome e a proposta de uma dupla celebração: um Sínodo diocesano para Roma e um concílio ecumênico para a Igreja universal”. Com estas palavras, o Papa João XXIII anunciou o Concílio Vaticano II, no dia 25 de janeiro de 1959, aos cardeais residentes em Roma, que estavam reunidos num mosteiro beneditino, nas proximidades da basílica de São Paulo Além dos Muros. 

A notícia que surpreendeu o mundo cristão foi apresentada, na emissora de Rádio Vaticano, antes do papa comunica-la aos cardeais, em virtude de um imprevisto no tempo da missa, acontecida mais cedo na basílica de São Paulo. Tenha-se em conta que, o anúncio conciliar e o Sínodo para a diocese de Roma foram, ainda, seguidos de uma terceira proposta: a atualização do Código de Direito Canônico de 1917. Segundo o Papa João XXIII, na mesma alocução, foram estes “os pontos luminosos de atividade apostólica que esses três meses de presença e contato com o ambiente de Roma sugeriram”.

De modo geral, a Igreja e a opinião pública mundial foram tomadas, como algo que é dado a um só golpe e de uma vez por todas, de perplexidade e incerteza quanto ao que havia sido divulgado. Dois anos adiante, o Papa João XXIII recordou que os dezessete cardeais presentes na ocasião reagiram “com impressionante e devoto silêncio”. O restante do colégio cardinalício foi contatado pelo Secretário de Estado, o Cardeal Domenico Tardini. Destes, menos de um terço dos cardeais emitiram resposta sobre a novidade do concílio. Os que apresentaram retorno à carta ofereceram as suas orações e manifestaram os seus préstimos diante do anúncio conciliar. Da Igreja do Brasil, foi encontrada, apenas, entre os documentos pontifícios, a resposta do Cardeal Jaime de Barros Câmara, arcebispo do Rio de Janeiro, para o qual esta notícia “abriu um raio de esperança em dias melhores para a cristandade”.

Em suma, a notícia de um concílio ecumênico, ainda sem o nome, foi recebida com certa hesitação pela imprensa e pelos diversos setores eclesiais. Na história da Igreja, estava anunciado aquele que se tornou uma dos maiores episódios eclesiais já acontecidos, pela confluência espiritual e numérica dos seus participantes.

Série 50 anos do Concílio Vaticano II. Texto publicado no Jornal São Salvador: Maio de 2012.

 

Anúncios